Análises

5 linguagens do amor, comunicação e liderança

5 linguagens do amor e liderança | Orbi Comunicação

Hoje, vamos abordar a teoria do escritor e conselheiro estadunidense Gary Chapman: você já ouviu falar das 5 linguagens do amor? O autor associa o estudo principalmente ao relacionamento entre cônjuges, porém também aplica em outras áreas e pessoas, como crianças e adolescentes. A partir disso e da multidisciplinaridade dessa pesquisa, vamos abordá-la a partir do viés da comunicação e da liderança. De que forma as 5 linguagens do amor podem contribuir para esses assuntos? Bora descobrir juntos?

Conheça a teoria das 5 linguagens do amor

Sabemos que as línguas são formas de pertencimento, de criar comunidade e nações. Não é à toa que países são formados, em geral, por um idioma principal. E se a gente te contasse que além das línguas ‘faladas’, cada um também tem sua linguagem emocional do amor? É isso que Chapman defende: a sua forma de comunicar o amor e a do seu parceiro/parceira podem ser tão diferentes quanto o chinês e o português. À vista disso, é importante compreendermos como cada um expressa seu amor, pois se sentir amado e rodeado de afeto são necessidades emocionais primárias dos indivíduos. Dessa forma, a indiferença e o isolamento são arrasadores para psique humana.

O autor, a partir de suas experiências profissionais, ainda descobriu que possuímos cinco diferentes formas de expressar nosso amor. Em geral, temos uma linguagem preferida para nos sentirmos amados. Logo, para construir relacionamentos, precisamos descobrir qual a língua principal do/da nosso/nossa parceiro/parceira e vice-versa. Vamos conhecê-las? A primeira linguagem do amor é chamada de “palavras de afirmação”. Ou seja, caracterizam-se por elogios verbais ou palavras de apreciação. Assim como, palavras encorajadoras, gentis e humildes. O que isso quer dizer? Que esse tipo de pessoa gosta que seu cônjuge utilize mais palavras para transmitir seu amor.

A segunda das 5 linguagens do amor é chamada de “tempo de qualidade”. Assim, caracteriza-se por dar atenção completa a alguém, entregando parte da nossa existência para o outro. Aqui, não importa exatamente a atividade que fazem juntos, mas o que se realiza no nível emocional. Dessa maneira, requer atenção focada, conversa de qualidade, ouvir com simpatia e disposição para revelar sentimentos pessoais. Se quiser conhecer as próximas linguagens do amor, é só continuar acompanhando nosso conteúdo!

As diferentes formas de expressar e de receber amor

Para entendermos mais uma vez: todos nós temos as nossas próprias formas de demonstrar e receber amor. Para que haja reciprocidade e vínculos verdadeiros entre as pessoas, precisamos descobrir a linguagem primária do outro, bem como a nossa. A terceira linguagem se chama “presentes”, isso é, essas pessoas apreciam receber símbolos visuais do amor. Aqui, lembre-se de dois pontos: 1) não importa o valor financeiro do presente; e, 2) essa linguagem pode ser demonstrada com o presente da presença física.

“Atos de serviço” é a quarta linguagem do amor, que se caracteriza por realizar atividades/tarefas para o outro. Ou seja, preparar o jantar, limpar a casa e até momentos mais simples como levar um copo d’água na cama antes de dormir. Por fim, a quinta linguagem tem o nome de “toque físico”, que podem ser tanto implícitos como explícitos, como por exemplo um abraço.

As 5 linguagens do amor nos auxiliam a compreender as necessidades emocionais do outro. Todos gostamos de nos sentir importantes e reconhecidos, o que costuma condicionar boa parte das nossas atitudes. Muito interessante, né? Agora, bora conhecer mais sobre comunicação e liderança?

Comunicação e liderança

O papel da liderança nas organizações se mostra fundamental, sobretudo quanto à comunicação com os funcionários de forma clara, transparente e assertiva. Um estudo desenvolvido pela Harvard Business Review (EUA), conforme publicado na revista VOCÊ RH de junho/julho de 2020, evidenciou que 70% dos funcionários se sentem mais engajados quando a liderança comunica a estratégia e os atualiza de forma constante. Ainda mais em tempos de crise e incerteza, como estamos vivenciando: as pessoas esperam que as lideranças as orientem. 

Ademais, diante do contexto pandêmico, vem crescendo a discussão da crise de lideranças. Ou seja, há carência de líderes durante esses momentos, que possuem o papel fundamental de aceitar o inevitável e tomar ações rápidas e  conscientes, como defende a pesquisadora Sabina Deweik em matéria para O Futuro das Coisas. Sabrina ainda discorre sobre o surgimento da liderança transformadora, responsável por remodelar capacidades e a cultura. Além disso, esse tipo de líder proporciona o aprendizado de todos os funcionários, através da função educativa. Bem como, o desenvolvimento de mentalidades, em vez de apenas habilidades. 

Liderança e as 5 linguagens do amor no ambiente de trabalho

Os momentos de crise reforçam os sentimentos de incerteza em todos e todas. Para manter equipes engajadas com base no respeito e na colaboração, a comunicação transparente e direta é essencial. Logo, a flexibilidade e adaptabilidade das lideranças se faz necessária, sobretudo para cultivar a capacidade de todos para aprender e crescer. Assim como, para fomentar os sentimentos de segurança e apoio que o cenário requer. Portanto, o reconhecimento das emoções, a autonomia, a confiança, a participação, a igualdade, pode tornar os colaboradores mais saudáveis, motivados e produtivos.

Nesse contexto, entendemos que as 5 linguagens do amor podem auxiliar na comunicação interpessoal das lideranças e das equipes. Bem como, no reconhecimento da singularidade e no desenvolvimento de cada pessoa. Sendo assim, a teoria pode contribuir para gerar conexão com quem convivemos e nos relacionamos no ambiente de trabalho. Ao compreendermos as linguagens emocionais das pessoas, podemos potencializar seu bem-estar e o seu sentimento de pertencimento.

Por exemplo, as “palavras de afirmação” podem vir através de elogios e feedbacks constantes. O “tempo de qualidade” pode ser realizado com atenção plena e escuta ativa. Já os “atos de serviço”, com aconselhamentos, ensinamentos e auxílio. Mensagens verdadeiras, lanches, cafezinho podem representar os “presentes”. Por fim, “toque físico” com olhares, cumprimentos e abraços. Essas são apenas algumas aproximações e ideias, pois cada pessoa e cada equipe são únicos. Enquanto líder, busque entender com profundidade e empatia as linguagens emocionais no ambiente de trabalho.

A teoria das 5 linguagens do amor é fascinante e pode ser relacionada com diversas áreas e atuações! Também, possui interfaces com o processo de humanização que vem sendo discutido. Se quiser entender mais sobre relacionamentos nas organizações, também temos um conteúdo especial aqui. Até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *